Português Italian English Spanish

Municípios do Sul Fluminense tomam posse no Comitê Guandu-RJ

Municípios do Sul Fluminense tomam posse no Comitê Guandu-RJ

Data de Publicação: 26 de fevereiro de 2021 21:56:00
Sete municípios do Sul Fluminense foram empossados no colegiado que atua em prol dos recursos hídricos.

Encontro foi realizado em Plataforma Online.

Melhorar a qualidade da água que chega à captação da ETA Guandu é o maior desafio.

Paulo de Tarso Pimenta (FIRJAN) foi reeleito para mais um biênio.

Cerca de setenta pessoas entre representantes de organizações públicas, civis e da iniciativa privada participaram nesta quinta-feira (25) da primeira reunião Ordinária Plenária do Comitê Guandu-RJ, que teve entre seus assuntos a posse dos novos membros do Colegiado. As instituições empossadas foram escolhidas após processo eleitoral público iniciado em dezembro e tem agora a missão de gerir a bacia que abastece cerca de nove milhões de pessoas na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Os municípios de Vassouras, Piraí, Mendes, Miguel Pereira e Paracambi foram eleitos titulares no colegiado. Barra do Piraí e Rio Claro foram empossados como suplentes.

O processo eleitoral para este biênio marcou um recorde: 92 instituições tentaram uma das 36 vagas de titulares no Comitê. Todos os 15 municípios que fazem parte da bacia se inscreveram, além de órgãos estaduais, federais, empresas e organizações da sociedade civil. Agora, os novos membros terão pela frente a missão de melhorar os índices de saneamento e consequentemente a qualidade da água captada pela ETA Guandu, da CEDAE, maior estação de tratamento de água do mundo, e atuar nas agendas ambientais que resultam na melhora da disponibilidade hídrica, na educação ambiental e ainda, no acompanhamento do processo de concessão dos serviços de abastecimento de água no estado. “Avançar com as demandas urgentes para melhorar com as condições ambientais do manancial que abastece a região metropolitana é o nosso foco e maior desafio”, afirmou Marcelo Danilo Bogalhão (ANAGEA-RJ) membro empossado e diretor eleito para este biênio.

Entre vários projetos e investimentos, o Comitê já entregou projetos de esgotamento sanitário aos municípios de Paracambi, Barra do Piraí, Piraí, e Miguel Pereira e está elaborando os projetos para Mangaratiba, Rio Claro, Vassouras, Engenheiro Paulo de Frontin e Mendes. Finalizou também os projetos básicos e executivos com as melhores alternativas ambientais e econômicas para o esgotamento rural para os 15 municípios da bacia, incluindo todos os integrantes do Sul Fluminense, além de aporte de recursos para obras na área de saneamento. Em infraestrutura verde, o programa Produtores de Água e Floresta (PAF), desenvolvido em Rio Claro, Vassouras e Mendes, já recuperou e conservou mais de cinco mil hectares de Mata Atlântica. Neste biênio, além da continuidade de programas como o PAF,  o Comitê irá atuar fortemente em educação ambiental, no desenvolvimento de um plano de educação ambiental para os municípios voltado aos recursos hídricos, e no projeto observatório de bacia, que irá implementar estações de monitoramento em diferentes pontos da bacia que permitirão informações em tempo real sobre a qualidade da água.

Após a posse, houve a eleição da diretoria colegiada. Com inscrição de apenas uma chapa, foi referendada pela maioria dos membros a diretoria formada por FIRJAN, CEDAE Abastecimento, ANAGEA-RJ, ABES-RJ, SEAS-RJ, e prefeitura municipal de Queimados. Paulo de Tarso Pimenta, representante da FIRJAN, foi reeleito diretor geral. “´É importante seguir com as articulações. Precisamos ouvir e falar com todos os atores e representações. Só vamos conseguir os avanços necessários com a ajuda e a participação de todos. Exemplo disso é a participação e atuação do Comitê no Grupo Técnico Interinstitucional, que reúne Ministério Público, INEA, SEAS, CEDAE e outros órgãos estaduais, trabalhando em prol da segurança hídrica, e também em outras frentes estaduais e nacionais. É um problema que afeta toda a população, exige ação imediata em todos os níveis. Os municípios também são indispensáveis neste processo”, explicou Paulo de Tarso.

O Comitê agora irá compor suas instâncias, ou seja, as Câmaras Técnicas e Grupos de Trabalho, para seguir com os trabalhos em prol da bacia. A lista com a composição plenária está disponível no site do Comitê (https://bit.ly/3usr4v9).